Descendentes de Franz Xaver Imhof

Info. Históricas


348. Nilo Imhof

Nilo Imhof cursou o primeiro grau no Colégio Santo Antônio, em Brusque; o segundo grau, no Colégio Diocesano, em Lages; Administração de Empresas e pós-graduação em Administração da Produção, na FURB, em Blumenau.
Trabalhou no SENAI/SC, como Professor e Chefe do Departamento de Treinamento durante 35 anos, até aposentar-se, em 1993, em Brusque.
No período de 1974 a 1978, foi diretor do SENAI de Rio do Sul. Naquela cidade, também lecionou nos colégios Dom Bosco e Maria Auxiliadora.
No período de 1983 a 1987, trabalhou no SENAI de Itajaí, como Professor. Ministrou cursos para empresas em Navegantes, dentre as quais Femepe, Celesc e Casan.
Foi professor da UNIVALI, nas disciplinas de Técnicas Comerciais e Administração da Produção durante a década de1980 (foi Professor Assistente na implantação do curso de Administração de Empresas).
Em Brusque, lecionou no Colégio Cenecista Honório Miranda.
Atuou como Consultor de Empresas autônomo.
Colaborador de Jornais - "O Município" de Brusque, "A Nação" de Blumenau e "A Tribuna" de Rio do Sul, através de artigos, crônicas e poesias.
Em 1972, publicou o livro "Páginas da Vida", reunindo crônicas e poesias já publicadas.
Em 1964, foi Presidente da UEB - União Estudantil Brusquense.
Nilo Imhof foi homenageado com a denominação da rua onde foi o primeiro morador, na praia de Gravatá, município de Navegantes.


Maria Celina Vidotto

Maria Celina Vidotto Imhof nasceu em Florianópolis em 15 de junho de 1953, filha de Affonso Primo Vidotto e Edmée Novaes Vidotto.

Fixou residência em Brusque aos seis anos de idade, quando sua mãe, professora, foi transferida para assumir a direção do Grupo Escolar Feliciano Pires, atual Colégio Estadual Feliciano Pires.

Formou-se em Letras no ano de 1974, na atual Univali. Como voluntária, participou em 1974 do Projeto Rondon, trabalhando como pesquisadora junto às comunidades indígenas no interior do Estado do Pará, na Selva Amazônica. Ingressou no magistério em 1970, lecionando em diversos colégios da cidade, destacando-se o Colégio Estadual Governador Ivo Silveira, onde atuou durante 16 anos, aposentando-se em 1991 por doença.

Na área privada, foi sócia da empresa Tecebem Beneficiamento Têxtil Ltda., empresa estabelecida em janeiro de 1990 no ramo têxtil.

Contraiu matrimônio em 1977 com o Sr. Nivert Imhof, e teve três filhas: Betina, Beatriz e Bruna.

Sempre teve atuação marcante na vida comunitária e social da cidade, destacando-se sua participação ativa e voluntária junto à COMUTUR - Comissão Municipal de Turismo da cidade de Brusque, onde seu marido foi presidente e membro ativo por diversos anos. Neste período foi criada a FENARRECO - Festa Nacional do Marreco.

Por seu pioneirismo na criação da biblioteca junto ao Colégio Estadual Governador Ivo Silveira, a direção, professores e alunos do referido educandário prestaram-lhe homenagem denominando “Biblioteca Professora Maria Celina Vidotto Imhof”, inaugurada em 15 de junho de 1994.

Por seus serviços prestados à comunidade na área de educação e na área de turismo, o Prefeito Ciro Marcial Roza promulgou a Lei Municipal nð 1723/92, de 26/06/92, denominando o Centro de Convenções e Eventos do município de “Centro de Convenções e Eventos Maria Celina Vidotto Imhof”.

Maria Celina faleceu no dia 26 de fevereiro de 1992, vitima de câncer. Está sepultada no Cemitério Parque da Saudade, em Brusque.