União Estudantil Brusquense 

 

Fundada a 14 de julho de 1954, destina-se, especialmente, a manter a unidade estudantil brusquense em torno da solução de seus problemas e prestar-lhe assistência social, escolar, material e esportiva. Foram fundadores da União os jovens: Mário Tormena, Euclides Visconti, Maria Terezinha Ramos Krieger, Rufino P. de Almeida, Manfredo Hofmann, Victor Hugo Paes Loureiro, Esau P. Laus, Emilio Luis Niebuhr, Ruth Mosimann, Norma T. Moritz, Aládio Merico, Hilário Merico, Carlos Appel, Arno Becker, Harry Egon Krieger, Osmar Tensini, Irlanda Tensini, Irio Silveira, Marcílio César Ramos Krieger, Alvino Merico, Wallace dos Anjos Borba, Úrsula Rombach, Aderbal de Carvalho e Ademar Mello.

 

Possui biblioteca e mantém um pequeno jornal. Na presidência prestaram valioso concurso os srs. Euclides Visconti, Wallace dos Anjos Borba, Arno Mosimann, Ivocílio Oliveira e Jorge Romeu Dadam. No período da presidência de Ivocílio de Oliveira foram devidamente registrados os seus estatutos e contemplados com o título de Sócio Honorário vários cidadãos brusquenses. As funções de presidente, atualmente, são exercidas pelo Sr. Salvador Pereira.

 

Álbum do 1º Centenário de Brusque. Brusque: Sociedade Amigos de Brusque, 1960. p. 224-225.

 

A União Estudantil Brusquense - UEB, no início da década de 1960 mantinha um programa na Rádio Araguaia AM, transmitido aos sábados, às 19h, que iniciava com a execução da maravilhosa ópera Aida, do compositor italiano Giuseppe Verdi. Seu último presidente eleito e empossado foi Nilo Imhof (*10.05.1941 +12.03.2002), que deixou o cargo com a extinção da entidade, decretada pela Lei nº 4.464, de 9 de novembro de 1964, conhecida como Lei Suplicy de Lacerda, que proibiu atividades políticas estudantis e colocou as entidades como a União Nacional do Estudantes (UNE), as UEEs e congêneres na ilegalidade.