Meu presente de Natal preferido

Francisco Daniel Imhof

 

O presente de Natal mais aguardado na minha infância vivida em uma área tipicamente rural*, na década de 1950, foi uma bola de futebol, na verdade, bola de plástico, porque a bola de couro era muito cara e acessível a poucos, afinal, eram outros tempos!

 

A felicidade era tão grande que, tão logo recebia esse maravilhoso presente, ia jogar com meu irmão e uns poucos vizinhos, às vezes até mesmo em grupo de três ou quatro pirralhos, no pasto que havia na frente da nossa casa. Ficávamos maltratando a pelota até quando estivéssemos totalmente às escuras, de tal forma que não enxergávamos mais a bola.

 

As traves, improvisadas com alguns gravetos, eram bastante estreitas para dificultar a marcação de gols, já que, em função do reduzido número de participantes, ficava desguarnecida, ou seja, não havia goleiro. Em face da precariedade das traves, a cada chute que atingia o graveto, esse ia para o espaço, e tinha-se que procurar outro para repor.

 

Outro inconveniente era que a bola, maltratada pela péssima pontaria desses peladeiros, insistia em cair no ribeirão que corria ao lado do gramado! Quando isso ocorria, tínhamos de ser lépidos para entrar no ribeirão e resgatar a pelota, caso contrário, a água a transportaria para o além.

 

Quando a bola, após um violento petardo de um desses deslumbrados atletas, se chocava contra um grampo da cerca de arame farpado que havia ao lado, fatalmente se esvaziava. Naquela nossa inocência, colocávamos um esparadrapo onde havia o furo, pegávamos uma bomba de encher pneu de bicicleta para tentar reanimá-la, mas tudo era em vão, pois uma vez furada, tornava-se murcha e inservível.

 

Então só me restava a alternativa de aguardar mais um ano para receber outra bola de presente, contando ansiosamente os dias que faltavam para a chegada do próximo Natal.

 

Apesar de ser uma época de muita simplicidade, eram dias felizes...

 

* Rua Daniel Imhof, em Brusque, que naquela época era uma rua sem saída, sem denominação, e às vezes se tornava intransitável devido a deslizamento de terras.